Brucelose bovina: O que é, sintomas e como testar!

A Brucelose é uma doença bacteriana muito prevalente nos rebanho leiteiros, mas pouco diagnosticada. Entenda o que é, como testar, como é transmitida e quais são as vacinas!
por Aline Bernardes em 07/Jan/2021

A Brucelose é uma zoonose com grande importância para a saúde pública, além de causar grandes impactos na produção de leite e carne. Neste texto você verá o que é a brucelose, as formas de transmissão, como ela se apresenta em humanos, saber quais são as vacinas e muito mais!

O que é brucelose

A Brucelose bovina é uma importante doença infectocontagiosa que acomete muitos rebanhos brasileiros.

Esta doença é provocada por bactérias do gênero Brucella. Os bovinos são acometidos pela espécie Brucella abortus.

Esta doença gera grandes impactos na produção de leite, visto que causa problemas reprodutivos, sendo responsável por 20 a 25% de perdas na produção de leite.

Saiba mais: Como as doenças reprodutivas em gado de leite impactam os resultados?

vaca com brucelose

Transmissão da brucelose bovina

A transmissão da brucelose acontece quando o animal sadio entra em contato com um animal infectado.

Devido ao hábito dos bovinos de lamber, a transmissão pode ocorrer quando um animal sadio lambe a genital de uma fêmea doente.

Uma outra forma de transmissão é pela ingestão de alimentos contaminados com urina ou fezes de animais doentes ou ingestão de restos de placentas.

Brucelose em humanos

A brucelose é uma zoonose, ou seja, é transmitida dos animais para os humanos.

O homem pode obter a doença pela ingestão de carne e deleite e derivados sem o tratamento térmico adequado ou com o contato direto com um animal doente.

Os sintomas da brucelose em humanos são sinais comuns a outras doenças, o que dificulta o diagnóstico, sendo eles: gebre, mal estar, calafrios, fraqueza, dores, entre outros.

transmissão de brucelose para humanosFonte: Secretaria de Saúde/DF

Sintomas de brucelose

A Brucelose caracteriza-se por:

  • Retenção placentária
  • Nascimento de bezerros fracos
  • Repetição de cio e descargas uterinas com grande eliminação de bactérias
  • Corrimento vaginal
  • No terço final da gestação, provoca aborto
  • Inflamação das articulações

No macho, há uma infecção aguda do sistema reprodutivo (orquite), podendo gerar infertilidade dos animais.

Veja também: Ebook sobre Mastite em vacas leiteiras com tudo o que você precisa saber sobre a doença e o programa dos 6 pontos de controle. Acesse!

Teste de brucelose bovina

Os testes mais recomendados para o diagnóstico da brucelose são:

  • Teste de Soroaglutinação com Antígeno Acidificado Tamponado (AAT)
  • 2-Mercaptoetanol (2-ME)

Em ambos, o material necessário para a realização do teste é amostra de soro sanguíneo. Entenda o passo a passo e qual a conduta recomendada pelo MAPA para cada resultado encontrado:

1-      Realização do teste individual AAT por um médico veterinário habilitado. O resultado confirmará com exatidão apenas os animais que são negativos (não reagentes no teste).

2-      Os animais com resultado positivo, ou seja, apresentaram reação no teste, têm suas amostras encaminhadas para o teste 2-ME, que funciona como um teste confirmatório. A conduta dos médicos veterinários pode variar, sendo que alguns optarão pelo sacrifício já neste momento, sem a necessidade do teste de confirmação.

3-      Caso o resultado deste segundo teste também seja positivo, confirmando a infecção, o animal deve ser sacrificado.

4-      Caso o resultado seja inconclusivo, o animal deverá ser testado novamente no 2-ME.

Brucelose bovina

Fonte: Instituto Mineiro Agropecuário – IMA

Vacina de brucelose

No Brasil, há duas vacinas utilizadas conta a brucelose bovina: B19 e RB51.

A B19 proporciona uma proteção de 75 a 80% e é obrigatória em todas as fêmeas na faixa etária de 3 a 8 meses, sendo necessário uma única dose.

Caso a fêmea seja vacinada com idade superior a 8 meses, ela pode apresentar produção de anticorpos aglutinantes, que irão interferir no diagnóstico. Isto significa que um animal não infectado poderá apresentar resultado positivo no teste diagnóstico.

A vacina RB51 não induz a formação desses anticorpos aglutinantes, sendo permitida nos casos de fêmeas bovinas com mais de 8 meses de idade que nunca foram vacinadas com a B19.

A vacinação só pode ser realizada sob responsabilidade de médicos veterinários.

vacinação contra brucelose

Siga nossas redes socias para mais informações sobre a pecuária leiteira e se inscreva no nosso canal do telegram!

Quer saber como funciona o trabalho de consultoria da Prodap? Nos mande uma mensagem! 

Sobre Aline Bernardes

Graduanda em Medicina Veterinária na Universidade Federal de Minas Gerais. Atua como estagiária na geração de conteúdo da cadeia do leite. Acredita que a tecnologia e o conhecimento são fatores-chave para transformar a pecuária no mundo.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se em nossa newsletter