Como prevenir as doenças reprodutivas em gado de leite?

Prevenir doenças reprodutivas em gado de leite deveria ser o mantra de todo pecuarista que trabalha com rebanhos leiteiros. Erros e doenças reprodutivas costumam ser catastróficas para os resultados da fazenda.
por João Vitor Fernandes em 22/Apr/2021

Nós sabemos que na pecuária os índices produtivos, reprodutivos e financeiros estão totalmente atrelados e sempre se interligam de alguma forma.

Contudo, em fazendas de leite, o resultado da produção está diretamente ligado ao ciclo de reprodução.

Saiba mais: Confira 05 Erros que todo produtor comete no controle reprodutivo de vacas

Nesse sentido, quanto maior o status reprodutivo do animal, melhores serão os resultados na produção de leite em sua fazenda.

Para tanto, a prevenção deve ser o ponto principal de todo o processo, tendo em vista que 50% das perdas gestacionais são promovidos por essas afecções e, na maioria das vezes, a identificação delas é feita justamente quando a perda já é irreversível, ou seja, quando há aborto.

Esse artigo, portanto, vai mostrar quais são as principais doenças reprodutivas que podem afetar o seu rebanho e te mostrar como prevenir cada uma delas. Esperamos que este conteúdo te ajude a melhorar os resultados da sua propriedade.

vaca lambendo bezerro

Por que acontecem as doenças reprodutivas em bovinos?

Na maioria das vezes, essas enfermidades acontecem por descuido do pecuarista e de sua equipe.

Ou seja, a falta de manejo sanitário adequado e o não controle dos índices reprodutivos do rebanho. Nesse sentido, a junção dos fatores de manejo, prevenção e controle precisa ser feita com rigor em sua propriedade.

Uma vez que não há prevenção os animais ficam expostos. E, se não há manejo sanitário adequado, aumenta o risco de infecção dos animais.

A gestão dos índices reprodutivos, além de fornecer informações importantes para seu planejamento, pode auxiliar na abordagem de casos clínicos.

Quais são as principais doenças reprodutivas?

Definir quais são as principais doenças reprodutivas e, posteriormente, os seus impactos para a sua fazenda é uma tarefa delicada.

Contudo, entre as mais recorrentes podemos citar:

  • Leptospirose Bovina - Bacteriana
  • Rinotraqueíte Infecciosa Bovina (IBR) - Viral
  • Diarréia bovina a vírus (BVD) - Viral
  • Brucelose - Bacteriana
  • Neosporose - Protozoário
  • Campilobacteriose - Bacteriana

Conversamos sobre isso detalhadamente em um outro texto aqui do blog. Clique aqui, leia e entenda o que é cada uma delas e como podem causar prejuízos para a sua fazenda

Como prevenir as principais doenças reprodutivas?

Para evitar tais prejuízos, precisamos tomar alguns cuidados. Abaixo trazemos medidas de prevenção para as doenças reprodutivas citadas acima.

Leptospirose Bovina

Para a leptospirose bovina, a principal medida de prevenção é a vacinação dos animais.

Porém, além disso, é preciso realizar o controle constante de pragas, cuidar de forma correta e preventiva da compra e trânsito dos animais e ficar atento à reposição das novilhas.

É preciso também, evitar o compartilhamento de água e pasto por diferentes espécies, limitar o acesso a rios, riachos e mananciais por diferentes espécies. 

Rinotraqueíte Infecciosa Bovina (IBR)

No caso da IBR viral, a principal prevenção é o manejo adequado e a vacinação.

É necessário também isolar os animais em até três semanas antes de introduzi-los no rebanho. Além disso, a utilização de sêmen e embriões livres do vírus.

A utilização de vacinas atenuadas e inativadas previnem o desenvolvimento de sinais clínicos e reduzem a liberação do vírus, mas não previnem a infecção.

Por isso, você precisa definir como será feito o controle baseando-se na condição do rebanho e na situação epidemiológica do momento.

Diarréia bovina a vírus (BVD)

Quando falamos da diarréia bovina, um dos métodos mais eficientes de controle é a identificação feita por diagnóstico direto, como é o caso da RT-PCR (convencional e em tempo real), o ELISA antígeno e o isolamento viral.

Com esse resultado algumas medidas de controle, como a vacinação do rebanho, podem ser conduzidas de forma precoce. A vacinação, como nos outros casos já apresentados, é sempre a melhor prevenção.

Por isso, é importante que a imunização contra a BVD faça parte do calendário da sua fazenda.

Brucelose

Para prevenir a Brucelose Bovina é fundamental interromper a cadeia de transmissão, com um diagnóstico rápido e a eliminação dos animais positivos.

brucelose bovina

EÉ preciso identificar e aumentar o número de animais resistentes dentro do rebanho, sendo que a vacinação das fêmeas é uma das principais ferramentas de controle.

Vacina para brucelose

Atualmente existem duas vacinas no Brasil, a B19 e a RB51.

A vacinação contra brucelose é obrigatória para todas as bezerras de 3 a 8 meses e a vacina a ser utilizada nesta fase é a B19.

Como trata-se de uma vacina viva, é preciso, para aplicação, a presença de um médico veterinário, ou um vacinador treinado por esse profissional.

Saiba mais: temos um texto completo com tudo o que você precisa saber sobre a brucelose. Confira!

Neosporose

A melhor forma de controle é a realização de testes para identificar animais positivos e verificar atestados negativos da doença em animais vindos de outras fazendas. Além disso, outros cuidados são:

  • realizar transferência de embrião;
  • evitar interações com os cães;
  • impedir que cães comam os restos placentários e carne de animais mortos.

Confira um texto completo sobre a Neosporose bovina!

Campilobacteriose

Para a campilobacteriose, a inseminação artificial com o controle rigoroso do sêmem, juntamente com a separação dos animais jovens e livres da doença é a melhor forma de controle.

Contudo, a  utilização de touro de repasse junto com a IA, fará com que sua propriedade perca os benefícios do procedimento, contribuindo para manutenção da doença no rebanho.

Além disso, outra grande forma de prevenção da Campilobacteriose  é a vacinação. Vacinas para esta patologia são utilizadas há vários anos no controle da doença, sendo fundamentais para as fazendas em que este procedimento da IA é difícil de ser implementado.

A vacinação de touros como forma preventiva é controversa. Portanto, não deve ser utilizada como a única forma de controle da doença. Ou seja, ela precisa ser utilizada em conjunto com a vacinação de fêmeas para obter os resultados esperados. 

Como vimos, para todas as doenças reprodutivas em gado, os principais métodos de prevenção são o manejo correto e a vacinação. Mas, para conseguir manter esses processos funcionando de forma adequada em sua fazenda, é necessário contar com a ajuda de ferramentas de gestão e cuidado com a saúde do gado.

Nesse sentido, o módulo saúde e tratamento do Prodap Smartmilk te ajuda a controlar os índices de sanidade do seu gado de leite e ainda ter todas as informações para cuidar da saúde do seu rebanho e gerenciar os tratamentos. Sendo, portanto, mais uma importante ferramenta de prevenção de doenças reprodutivas. 

Converse com um de nossos consultores e saiba como o Smartmilk pode te ajudar a tornar a sua produção mais rentável!

Sobre João Vitor Fernandes

Jornalista e pós-graduando em marketing digital, gestão e negócios.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se em nossa newsletter