]

Agentes da transformação: Os talentos do campo! - Lucas Rabelo

A Prodap é feita de pessoas incríveis que estão revolucionando a pecuária! Para inspirar outras pessoas que acreditam nessa transformação, vamos contar a trajetória de grandes profissionais que nos ajudam a escrever a nossa história.
por Caroline Cabral em 10/Sep/2020

A Prodap é feita de pessoas incríveis que estão revolucionando a pecuária!
Para inspirar outras pessoas que acreditam nessa transformação, vamos contar a trajetória de grandes profissionais que nos ajudam a escrever a nossa história.

Nessa estreia, compartilhamos um pouco da caminhada profissional do nosso Gerente de Grandes Contas, Lucas Rabelo, que já integra o time Prodap há mais de dezesseis anos.

Ele vem lá do interior de Goiás, nascido em Firminópolis, cidade localizada a 110 km a oeste de Goiânia. Filho de produtores rurais, nasceu e morou na fazenda boa parte da infância e sempre manteve laços fortes com a propriedade e com vida no campo.

Quem é o Lucas Rabelo?

Eu sou o filho mais velho, tenho outras três irmãs que foram para Goiânia comigo para estudar, mas o “nosso cordão umbilical” sempre esteve na fazenda. Cursei o Colégio Agrícola, que na época era Escola Agrotécnica Federal, onde os alunos faziam o curso técnico em agropecuária e tinham a oportunidade de trabalhar dentro da escola.

Quando eu terminei a agropecuária, eu tinha o sonho de cursar medicina veterinária... Foi quando me mudei para Belo Horizonte (MG), aprovado no vestibular da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) onde tive a oportunidade de me graduar, fazer mestrado e ter o primeiro contato com a equipe Prodap, que era um braço parceiro de consultores.

Quais foram os primeiros desafios da sua carreira?

Ao longo da graduação teve um momento que eu até pensei em trancar a matrícula para poder ajudar meus pais, a fazenda deles em Goiás é pequena e estava difícil de me manter em BH estudando. Em 2004, consegui ingressar no mestrado com bolsa que cobria as minhas despesas. Depois de fazer o mestrado, comecei a trabalhar em uma fazenda e atuava com a equipe de consultores da Prodap. Na época, os profissionais tornavam-se parceiros e tinham a oportunidade de se tornarem sócios do negócio.

Mais ou menos dois anos depois eu me tornei sócio da empresa. Com o passar dos anos os projetos foram aumentando. Eu tinha o desejo de voltar para Goiânia e em 2005 eu consegui fixar minha base lá. Em 2006, iniciamos o projeto da Fazenda Conforto, foi uma excelente oportunidade na época que me alavancou e que alcançou excelentes resultados, se sustentou e continua crescendo cada vez mais.

“O contexto de toda a minha formação, de base familiar, a formação voltada para o agro e depois a oportunidade de desenvolvimento dentro da Prodap com uma visão financeira e posteriormente de gestão e visão empresarial, tudo isso me ajudou na formação do profissional que sou hoje e também do pai de família.”

Por que você escolheu a Prodap?

O que me atraiu para o atendimento da Prodap e significou muito para mim foi ver a forma que eles sempre trabalhavam pensando primeiro no cliente. Conheci um pecuarista, amigo do meu pai, que havia trabalhado com gado orientado profissionalmente por uma empresa. No entanto, o trabalho não gerou o resultado esperado, ele acabou entrando em depressão e falecendo. Esse episódio foi algo que me marcou muito e isso me chamou muito a atenção, porque eu sempre tive esse desejo de trabalhar ajudando as pessoas para que seu negócio prosperasse. Isso foi uma das primeiras coisas que eu vi no ambiente da Prodap.

Também por ser um ambiente de muito desafio, eu sempre gostei muito de estudar, resolver problemas, de ser desafiado. Eu fui melhorando as entregas, me desenvolvendo como profissional, conquistando clientes, o que foi dando sustentação para o meu crescimento e também da empresa.

O que eu acho muito bacana nesse trabalho é que a gente sempre encontra situações diferentes e está se preparando melhor a cada dia.

“A cada dia que passa você sempre está melhor e mais bem preparado, então daqui a um ano quando você for fazer qualquer coisa no mercado, com certeza você vai estar melhor do que estava a um ano atrás.”

Quais foram os maiores desafios que teve durante sua atuação na Prodap?

Um dos meus maiores desafios está associado ao processo de autoconhecimento, você buscar sempre ser melhor que você mesmo a cada dia. Se não sabemos a solução, o primeiro passo é reconhecer que não sabemos aquilo e ir atrás, pedir ajuda e estudar.

Sempre atuei dentro dessa lógica: Poxa tem um problema aqui, eu sei resolver? Não, não sei. Então eu reconheço que eu não sei e vou atrás procurar ajuda. Desde que comecei a atuar lá atrás, eu sabia que estava sozinho fisicamente durante o dia a dia, mas eu tinha o telefone que tinha trinta/quarenta colegas para poder ligar e trocar ideias. Inclusive, o compartilhamento de informações e a ajuda entre os colegas é outro valor muito importante dentro da Prodap, é algo muito grande e genuíno que você não vê tão presente em outras culturas.

Deixe suas dicas para quem está começando na carreira!

1° Dica – Conheça e conquiste o cliente (isso não acontece de forma rápida)!

Primeiro dê tempo ao tempo, o que isso quer dizer? Você precisa primeiro plantar, ou seja, entrar na fazenda do cliente e construir um relacionamento com ele, desenvolver o trabalho e esperar todo o ciclo produtivo. Você precisa vivenciar pelo menos os três ciclos, são três anos dentro de uma fazenda para você começar a conhecer como o negócio funciona e, sobretudo, no início da carreira profissional. Acho que uma grande dica é a persistência em determinado projeto para que tenha a oportunidade de vivenciar e aprender a dinâmica do jogo.

2° Dica – Foco na geração de valor e na construção do conhecimento, o reconhecimento chega depois disso!

A segunda grande dica é preocupar em aprender e desenvolver as entregas porque reconhecimento e a remuneração virão como consequências. Ou seja, um consultor com menos de três anos de vivência dentro do negócio não consegue começar ter uma visão do todo e isso eu acho que é uma grande dificuldade principalmente das gerações mais jovens que tem uma visão muito imediatista das coisas. Boa parte do que a gente encontra hoje de erros e dificuldades no nosso time de consultores é porque essas pessoas têm dificuldade de vivenciar esse time de produção para poder ter base de conhecimento em entender qual que é a mecânica do jogo. Dê um passo de cada vez, entenda o sistema de produção com a visão do todo e aguarde que remuneração e reconhecimento é a consequência de um trabalho bem feito.

Como você vê a pecuária do futuro e como o seu trabalho pode contribuir?

Eu penso que a pecuária do futuro será uma pecuária muito voltada para sustentabilidade ambiental, financeira e social e já vem passando por essa transformação.

Eu acredito que meu papel dentro da Prodap é pegar toda essa vivência, imagina aí desde criança vivenciando esse ambiente, consigo ter uma “biblioteca” bacana de conhecimentos que conectam com a terra. É necessário usufruir de todo esse conhecimento para falar assim “Como posso fazer o que tem que ser feito o mais rápido possível?” E isso tem acontecido!

A proposta é fazer uma pecuária diferente e eu vejo que tanto a Prodap quanto o meu momento atual podem contribuir muito com esse processo de transformação da pecuária. E a mudança vai ser no mundo mesmo.

“Não é uma frase de impacto, o que estamos fazendo é uma entrega de valor para o mundo.”

 

Ficou Curioso pra conhecer mais sobre o trabalho que o Lucas Rabelo tem desenvolvido com a Prodap? Dá uma olhadinha nesse grande case de sucesso: Fazenda Conforto 

Quer se juntar a esse time e também ser um agente da transformação da pecuária na mundo? Vem ser Prodap!

 

Sobre Caroline Cabral

Psicóloga atuando como Talent Acquisitions na Prodap desde 2018, cuidando de experiências para encantar pessoas.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se em nossa newsletter