]

Tipos de instalações de confinamento de vacas leiteiras e suas vantagens e desafios

Escolher um projeto de instalação para o seu rebanho leiteiro pode ser uma tarefa complicada. Veja as vantagens e desvantagens de adotar o Loose Housing, Free-stall ou Compost Barn!
por Aline Bernardes em 28/Sep/2020

Escolher um projeto de instalação para o seu rebanho leiteiro pode ser uma tarefa complicada, são muitas variáveis que definem qual o melhor modelo para a propriedade, seja ele free-stall, loose housing ou compost barn, todos têm suas vantagens e desvantagens!

Nesse texto você vai conhecer como cada uma dessas propostas pode beneficiar a produtividade da sua propriedade.

O que é confinamento de gado?

O confinamento é um sistema intensivo de criação que tem sido cada vez mais inserido no Brasil.

Neste sistema, os animais são criados em uma área restrita durante o ano todo, são separados por lotes e recebem uma dieta balanceada e adequada ao período produtivo.

Tipos de instalação de confinamento para gado leiteiro

Loose Housing

loose housing

Neste sistema, o confinamento ocorre em estábulos de terra batida ou concretado, com uma área coberta de repouso coletivo. Os animais ficam em áreas livres, com muita liberdade de movimento.

A área de repouso é um espaço onde as vacas podem deitar para descansar na cama coberta com material seco, que pode ser palha de trigo, palha de arroz, areia, esterco desidratado, cepilho de madeira e outros materiais. Uma das funções deste espaço é fornecer proteção contra os ventos frios, sol intenso e chuvas.

Para a ordenha e alimentação, as vacas são levadas para galpões ou áreas diferentes. O investimento por animal é baixo, já que as estruturas têm baixo custo. Porém, a manutenção é difícil.

Vantagens de adotar o loose housing

- Animais livres para apresentarem seu comportamento natural

- Menos custo de construção da instalação

- Reconhecimento de cio facilitado

Desafios adotar o loose housing

- Manutenção da estrutura de instalação

- Problemas com o escoamento de dejetos da cama

- Infestação de moscas no espaço

Free-stall

No sistema free-stall, as vacas ficam soltas dentro de uma área cercada, sendo que uma parte é destinada às baias, que são os locais de descanso dos animais, e o restante da instalação é destinada para alimentação, ordenha e exercício.

As baias são individuais, os animais permanecem lado a lado e são forradas com cama que pode ser areia ou borracha triturada. O tamanho da baia deve ser o mais confortável para que o animal permaneça com o úbere e as pernas alojadas quando estiver deitado, enquanto as dejeções são lançadas no corredor de limpeza ou serviço

Este sistema se tornou muito popular entre os produtores devido ao fato de que as vacas ficam livres em um grande espaço aberto com chão de terra ou concreto e com acesso fácil para a alimentação quando não estão sendo ordenhadas.

Vantagens de adotar o free-stall

- Espaço para exercício dos animais

- Vacas limpas

- Economia no custo operacional

- Mecanização facilitada

- Grande flexibilidade de manejo

Desafios de adotar o free-stall

- Alto custo de construção

- Maior exigência de manejo de limpeza

- Maior competição

Compost Barn

Neste sistema de confinamento, os animais ficam livres para caminhar no galpão e possuem amplo espaço para deitar, garantindo melhor conforto e bem-estar dos animais.

Para obter bons resultados neste sistema, são necessários cuidados e orientações técnicas, pois exige uma estrutura bem projetada e um bom manejo da cama.

Dando destaque ao manejo da cama, este é um ponto crucial para o sucesso do sistema. Deve ser realizado de modo a garantir uma superfície seca e confortável em que as vacas possam levantar e andar em uma superfície macia.

Quando as vacas estão na sala de ordenha, o material da cama, que pode ser serragem, aparas de madeira ou cavacos de madeira, deve ser revolvido para manter a condição aeróbica.

O custo deste sistema é menor quando comparado com outras instalações para gado leiteiro. Um desafio é o material utilizado para cama e seu preço, o que pode tornar o sistema mais caro.

O sistema compost barn tem se mostrado como oportunidade para melhoraria da sustentabilidade na pecuária leiteira.

Vantagens de adotar o compost barn

- Vacas com maior liberdade de escolha

- Redução dos problemas com casco

- Condições sanitárias mais saudáveis

- Melhores condições de trabalho para os funcionários

- Maior conforto térmico

Desafios de adotar o compost barn

- Dificuldade para encontrar material para cama

- Maior exigência de cuidados com o manejo da cama

Tie stall

tie stall

O tie stall é utilizado para rebanhos pequenos, com até 60 vacas em lactação e que sejam de altíssima produtividade.

Neste sistema, as vacas ficam contidas em baias individuais a maior parte do tempo, estão dispostas lado a lado e são mantidas por uma corrente no pescoço. Geralmente, são soltas apenas no momento da ordenha e esta escassez de exercícios aumenta a possibilidade de estresse no animal.

A alimentação é recebida no cocho manual ou mecanicamente, sendo oferecida 2 vezes ao dia, sendo que parte do concentrado pode ser fornecido na sala de ordenha. A água deve ser disponibilizada em bebedouros e pode servir até 2 animais.

A cama não precisa ser trocada diariamente, porém, as dejeções que caem em canaletas dispostas atrás dos animais devem ser limpas todos os dias para garantir a boa higiene do local.

O investimento por animal alojado é alto devido a necessidade de mão-de-obra qualificada e um grande investimento na infraestrutura.

Este método está cada vez sendo menos utilizado devido à preocupação com o bem estar animal.

Vantagens:

- Higiene dos animais

- Mecanização facilitada

- Funcionário com melhor situação de trabalho

Desafios:

- Alto investimento

- Maior possibilidade de estresse animal

- Se não for mecanizado, tem um grande volume de trabalho

- Pouca oportunidade das vacas se exercitarem

Siga nossas redes sociais para mais dicas de produtividade na atividade leiteira! 

Sobre Aline Bernardes

Graduanda em Medicina Veterinária na Universidade Federal de Minas Gerais. Atua como estagiária na geração de conteúdo da cadeia do leite. Acredita que a tecnologia e o conhecimento são fatores-chave para transformar a pecuária no mundo.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se em nossa newsletter