]

Gado confinado: 5 modelos de manejo de cocho para obter mais resultados

O manejo eficiente proporciona oportunidades de ganhos e minimiza os riscos de perdas na produção. Por isso, nesse texto você vai conhecer 5 modelos de manejo de cocho para seu confinamento
por Flávia Figueiredo em 19/Jun/2019

Quando se trata da atividade de Confinamento de Corte, procuramos ser cada vez mais eficientes na venda e compra dos animais, aquisições de insumos e utilização de novas tecnologias, mas, nada representa maior oportunidade de fazer a diferença, do que o manejo.

Se não considerarmos o custo do animal magro, o custo com a alimentação animal representa em média 80% do custo de produção de um confinamento. O manejo eficiente proporciona oportunidades de ganhos e minimiza os riscos de perdas na produção.

Existem vários processos envolvidos desde a formulação da dieta (pelo nutricionista) até a ingestão da mesma pelos animais, para que as duas dietas sejam próximas os processos devem ser os mais eficientes possíveis.

“O sucesso da dieta é 80% manejo e 20% do computador que gerou essa dieta”, já dizia a Professora Dra. Gabriella Varga da Penn State University, em que atribui ao manejo a grande responsabilidade do sucesso das dietas.

Por que fazer um bom manejo de cocho faz toda a diferença?

Quando se quer garantir o sucesso em confinamentos, um dos pontos mais importantes é gerenciar a rotina de manejo da atividade. Confinamentos bem gerenciados fazem tudo da mesma forma, todos os dias.

Veja também: Você está fazendo uma boa gestão da rotina do confinamento?

Dentre as diversas atividades diárias que fazem parte da rotina do confinamento, o manejo de cocho tem uma grande relevância. Podemos descrever o manejo de cocho como sendo o processo diário que visa ajustar a quantidade e qualidade do alimento que é fornecida para o animal. Seus principais objetivos são promover o consumo ideal da dieta visando a melhor eficiência animal e por consequência trazer a maior rentabilidade.

O que é considerado um manejo de cocho adequado?

A eficiência alimentar está diretamente ligada ao ganho de peso e ao consumo animal. O manejo adequado do cocho visa otimizar o processo sem ofecer dieta demais, afinal isso pode acarretar problemas metabólicos aos animais e desperdício, tampouco permitindo que o rebanho passe por restrições alimentares que limitem seu desempenho e ganho de peso.

Parâmetros de Leitura de Cocho

Dentre as ferramentas utilizadas para o manejo, a leitura de cocho desempenha uma função muito importante. Podemos defini-la como sendo a avaliação subjetiva do que sobra ou não de dieta através de notas ou escores. Através da leitura de cocho se ajusta o consumo do lote, o objetivando principalmente evitar as grandes variações no consumo diário de alimento.

A tabela abaixo mostra o sistema de escore de cocho utilizado pela PRODAP:

 

Existem padrões, no comportamento animal, que devem ser observados e podem auxiliar na tomada de decisão no momento da leitura de cocho. 

 

5 modelos de manejo de cocho para obter mais resultados com o confinamento

Na atualidade existem diversos modelos de manejo de cocho, cada um com suas vantagens e desvantagens. Abaixo vamos entender melhor como funciona os 5 principais manejos utilizados:

 

1. Manejo de cocho Ad Libitum:

No manejo de cocho ad libitum, que significa à vontade, onde fornecimento da dieta é feito de maneira que os cochos estejam sempre com alimentos. A ideia central desse manejo é permitir, o acesso à vontade dos animais a ração, os chocos não devem ficar vazios em nenhum momento. A regulação de consumo ocorrerá por características biológicas dos animais e não por intervenção do manejo.

A leitura de cocho é feita de forma visual, sem atribuição de notas ou escores, a correção da quantidade a ser fornecida é feita pelo “tratador” durante o dia, levando em conta apenas se existe ou não dieta nos cochos. Como o acesso ao alimento deve ser constante, os tratos são feitos em maior quantidade durante o dia.

Vantagem

Normalmente esse tipo de manejo é utilizado em situações que não se tem a possibilidade de coletar e utilizar informações no dia a dia, principalmente quando se trata da quantidade de dieta fornecida. Essa baixa complexidade de processos é a principal vantagem desse tipo de manejo.

Desvantagem

Quando fornecemos dietas à vontade para os animais, a oscilação do consumo é maior, aumentando os riscos de ocorrência de acidose, afetando, assim, o seu desempenho. A logística pode ser prejudicada, uma vez que o ajuste das quantidades fornecidas pode ser complicado, atrapalhando a programação operacional.

A ocorrência de sobras pode acarretar em prejuízos caso seja recorrente. Essas são as principais desvantagens desse método. Normalmente, utiliza-se dietas com maior nível de fibra, minimizando os problemas metabólicos.

 

2. Manejo de cocho bica corrida:

No manejo de bica corrida, não existe controle da quantidade de alimento que é ofertada aos animais, o tratador simplesmente disponibiliza a dieta nos cochos fazendo uma mensuração de quantidade de forma totalmente visual e empírica.

Esse método se assemelha muito ao ad libitum, o que diferencia um do outro é que no manejo de bica corrida não existe coleta de informação, de nenhuma espécie.

 

3. Manejo de cocho restritivo:

Nesse tipo de manejo o fornecimento da dieta é feito de forma restritiva. O nível de consumo pode ser até 15% menor que na ingestão à vontade. Normalmente é utilizado para tratar categorias de animais em fase de crescimento.

Vantagem

O manejo restritivo traz como principal vantagem o aumento na conversão alimentar, em até 9%, tornando o sistema mais eficiente.

Desvantagem

Dentre as principais dificuldades em se aplicar esse tipo de manejo, está a necessidade de um excelente controle das informações e que o fornecimento diário seja preciso. Caso o consumo seja a baixo do necessário, o ganho de peso pode cair e se deixa de aproveitar o potencial de desempenho dos animais.

Para o sucesso desse manejo, as informações de quantidade de animais por curral devem ser revisadas sempre, garantindo a realidade. É fundamental ter espaço de cocho para que todos os animais consumam ao mesmo tempo, evitando que animais se alimentem de forma à vontade e outros consumam menos que necessitam.

 

4. Manejo de cocho limpo:

É o manejo de cocho mais difundido no país. O manejo do cocho limpo consiste em buscar uma sobra ideal para a dieta, essa sobra chamada de é resquícios de dieta, com o fundo do cocho aparente ou até mesmo apresentando lambidas recentes (indicativo de que animais acabaram de comer).

Nesse tipo de manejo o comportamento dos animais deve ser observados, a maioria do rebanho terá interesse em consumir no momento do trato, no entanto, os animais não consomem por um longo período, em alguns minutos muitos já se afastaram para beber água ou simplesmente descansar.

O fornecimento de alimento é feito de forma pré-estabelecida, de acordo com o peso médio do lote, consumo médio dos últimos dias e leitura de cocho realizada antes do primeiro trato. Todas as sobras de ração são descartadas e os tratos são divididos ao longo do dia, podendo ser de 4 a 6 vezes.

A leitura de cocho nesse manejo é muito importante, ela dirá a quantidade a ser acrescida ou retirada dos animais, por isso é importante que toda equipe entenda quais são as fases do consumo e quais notas ou escores de correção aplicar. 

Podemos subdividir o manejo de cochos limpos em dois:

Convencional

Se faz apenas uma leitura de cocho, normalmente antes do primeiro trato. Nesse tipo é possível ter um bom controle da quantidade fornecida nas últimas 24 horas. São realizadas análises de eficiência de trato, curva de consumo e análise do comportamento animal.

Avançado

Além da leitura de cocho matinal, são efetuadas uma ou mais leituras durante as 24 horas, sendo imprescindível uma leitura noturna. A leitura noturna visa precisar a quanto tempo os animais estão ou não sem dieta no cocho, a leitura noturna deve ocorrer aproximadamente 5 horas após o termino do trato.

Vantagem

As principias vantagens são a possibilidade de otimizar a operação e os processos de logística, aproveitar melhor a mão de obra, diminui perdas de ração, tanto por sobra no cocho como por consumo acima do necessário pelo animal, reduzir variação de consumo diário, diminuir problemas metabólicos e possibilitar a melhor eficiência alimentar.

Desvantagem

A necessidade de uma operação eficiente, com altos níveis de controle e mão de obra capacitada são as principais desvantagens do manejo de cocho limpo.

 

5.       Manejo de cocho controlado

Em teoria é o manejo tido como ideal. Se assemelha em quase todos os aspectos ao manejo de cocho limpo, a diferença mais acentuada é que nesse tipo de manejo as sobras de ração, que estão em condições de serem consumidas, são reaproveitadas e o rebanho pode consumir esse alimento a vontade. As demais práticas, como leitura de cocho e distribuição de tratos são semelhantes ao manejo de cocho limpo.

Vantagem

A principal vantagem é aproveitar a dieta remanescente em boa qualidade, diminuindo o custo de produção sem afetar o desempenho dos animais.

Resumidamente, um manejo de cocho eficiente pode reduzir a incidência de problemas metabólicos, padronizar e simplificar a tomada de decisão, aumentar a eficiência operacional e reduzir custos de produção causados por perdas de ração ou consumo em excesso.

Existem diversos modelos disponíveis, cada um se enquadra em um tipo de manejo e realidade de produção, entretanto, o manejo de cocho controlado permite diminuir a variação do consumo e os desperdícios de ração. Além dos benefícios já citados, ele otimiza o processo de logística e o desempenho animal, sendo, por isso, considerado o manejo mais eficiente.

 

Sobre Flávia Figueiredo

Agrônoma formada pela UFMG, com MBA em gestão do agronegócio pela ESALQ, consultora do sucesso do cliente da cadeia da carne, atua no Espírito Santo, Leste de Minas Gerais e Sul da Bahia. Como todos na Prodap é apaixonada por transformar a história dos clientes através da pecuária eficiente.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se em nossa newsletter