Quanto custa a arroba do boi? Saiba como calcular o custo da arroba produzida

Conheça os processos e dados que precisam ser levantados para chegar ao preço da arroba do boi gordo.
por João Vitor Fernandes em 17/Feb/2021

Qual o custo da sua produção? Os resultados financeiros têm sido positivos? Você pode diminuir ou precisa aumentar o preço de venda?

As respostas para estas perguntas estão diretamente ligadas ao custo da arroba produzida em sua fazenda.

Isso porque, a arroba do boi gordo funciona como uma moeda de troca para o pecuarista de corte, definido, portanto, a estratégia de venda final. Além disso, com esse dado você consegue planejar estrategicamente as ações da sua fazenda.

Mas afinal, você sabe como fazer o cálculo do custo da arroba produzida em sua fazenda? Você conhece todos os detalhes da despesa de produção do seu negócio? Siga com a leitura e descubra uma forma simples de chegar a estes números.

boi gordo

Primeiramente, calcule o custo da produção

Toda gestão financeira precisa ter planejamento, organização e controle para atingir bons resultados. 

Ou seja, para qualquer ação que você realizar em sua fazenda é necessário seguir estes pilares.

Logo, para calcular o custo da arroba de gado, é necessário planejar, organizar e controlar o custo da produção

Pode parecer óbvio, mas muitos pecuaristas costumam fazer este processo de forma errada.

Vamos entender melhor, começando pelos dados que precisamos levantar.

Diagnóstico dos parâmetros zootécnicos

Entender estes índices é fundamental, pois eles influenciam diretamente o custo da produção da fazenda. Faça, portanto, o levantamento dos seguintes dados:

  • área de pastagens;
  • animais fechados por ciclo;
  • lotação (cabeças/ha);
  • taxa de lotação média;
  • peso vivo médio de entrada;
  • período de engorda no pasto;
  • ganho de peso diário;
  • peso vivo de abate;
  • rendimento de carcaça – para venda;
  • arrobas de carcaça;
  • ganho de peso vivo total na recria/engorda.

Com a posse destes dados sobre os índices zootécnicos, é possível identificar falhas nos processos que podem estar aumentando o custo da sua produção. 

Agora, passamos a fazer o levantamento dos custos da produção da arroba bovina. Começando pelas despesas fixas. 

Custos fixos da fazenda

São as despesas recorrentes, como os gastos com energia elétrica, água, aluguéis, funcionários e afins.

Além disso, despesas com maquinário, benfeitorias na fazenda e pastagem também entram nesta conta e vão ser consideradas no cálculo do custo da arroba produzida, por meio da depreciação.

Estas despesas vão além do ciclo de produção, ou seja, independem da quantidade do que será produzido.

Calculando a depreciação

Para calcular a depreciação basta seguir a fórmula abaixo.

Depreciação = valor inicial - valor final / vida útil (valor residual)
  • Valor inicial é o montante pago pelo bem.

  • Valor final é quanto ele vale no final da sua vida útil.

  • Vida útil é o tempo em que o bem foi usado em sua fazenda

 As referências para o tempo de vida útil e valores residuais podem ser conseguidas em literaturas existentes e o pecuarista pode escolher aquela que mais se aproxima da realidade da fazenda.

boi

Custos variáveis da fazenda

Ao contrário dos fixos, os custos variáveis são consumidos durante o ciclo produtivo.

Esses custos são todos os desembolsos para compra de insumos, contratação de serviços e pagamento de impostos.

Custos variáveis diretos

São os gastos aproveitados em apenas uma atividade e estão diretamente ligados a quantidade que será produzida.

Entram nesta conta animais para reposição, alimentação, combustível, entre outros. 

Custos variáveis indiretos

Esses são gastos com insumos e serviços que podem ser utilizados em mais de uma atividade da fazenda, como os gastos administrativos, mão de obra contratada e afins. 

Mesmo não conseguindo separar entre direto e indireto, o que pode ser bem trabalhoso, é importante saber o total dos gastos variáveis para que o cálculo da arroba de boi seja feito da forma correta.

A próxima etapa é a somatória de tudo que já levantamos até esta etapa.

Ou seja, somamos as despesas fixas (depreciações) com as despesas variáveis (diretas e indiretas) e chegamos ao valor total do custo da produção da fazenda.

Para ajudar nesse processo, é importante contar com um software de gestão de fazendas, que facilita o processo de apuração de dados e cálculos. Fazer esse levantamento em planilhas pode levar a erros que vão interferir diretamente nos resultados da fazenda.

Calculando o custo da arroba produzida 

Agora que temos o valor do custo total da produção, basta dividir este valor pelo total de arrobas obtidas e teremos o cálculo do custo de cada arroba gerada na fazenda. 

Para chegar ao valor final de arrobas produzidas é só fazer o seguinte cálculo.

Arroba produzida = (peso final -  peso inicial) + peso dos animais vendidos

Veja este exemplo: 

dados de custo da fazenda de corte

Ok, agora você já entendeu como calcular o custo da arroba. Mas e se você descobrir que está maior do que esperava, o que fazer para diminuir este custo? veja a seguir!

Como reduzir o custo da arroba do boi?

Algumas ações simples podem ajudar a diminuir o custo da produção e aumentar a produtividade da sua fazenda.

Confira 5 dicas de como reduzir os custos:

1- Manejo de pastagem correto

O primeiro e mais importante passo para reduzir o custo da arroba do boi é fazer o manejo de pastagem de forma correta.

Alguns estudos apontam uma diminuição do número de áreas destinadas a pasto no Brasil e o aumento da produtividade. Veja o gráfico abaixo:

área de pastagem

Esse comportamento está relacionado ao melhor uso do solo e o melhor ganho de peso dos animais.

Contudo, mesmo com esses dados e o clima favorável no Brasil, percebemos um baixo aproveitamento e um baixo desempenho animal.

Isso se deve a um manejo ineficaz da pastagem.

Ou seja, índices como tamanho do lote, condições de cercas e bebedouros, entre outros, contribuem para um queda na produção e o encarecimento da arroba.

Nesse sentido, o fundamental é contar com o uso da tecnologia e boas práticas de manejo, para melhorar os resultados da sua fazenda. 

2- Faça a separação do rebanho e acompanhe a produtividade 

Com um manejo correto e a separação de lotes, você consegue entender melhor as etapas de cria, recria e engorda, oferecendo, portanto, a assistência ideal para cada uma das fases.

Com esse procedimento você diminui o risco de contaminação de bezerros, por exemplo, e tem um controle melhor do rebanho.

Além do controle, com a separação a sua fazenda consegue medir de forma mais eficiente o desempenho de cada animal do rebanho, tendo a possibilidade de descartar aqueles que não apresentam o resultado esperado. 

Lembre-se: um animal que não produz de forma satisfatória pode elevar o custo da arroba produzida na sua fazenda. 

3- Definição racional do peso de abate

 É comum ouvirmos a seguinte máxima: 'Coloque o máximo de carcaça possível no seu animal em terminação para melhorar a relação de troca na compra do bezerro”.

Esse é um ponto a se considerar, pois antes é necessário entender qual a estrutura corporal do animal — que varia de acordo com a raça e a região onde o animal é criado.

Portanto, para calcular o peso ideal para o abate, é preciso levar em consideração o potencial de cada indivíduo, para evitar sobrecarga e acabar encarecendo a arroba produzida em sua fazenda.

Saiba mais: Veja como Definir Racionalmente o Peso de Abate na Terminação

4- Faça a produção da sua própria silagem

A alimentação é um dos insumos mais caros na produção da fazenda, certo?

Sabemos que uma boa dieta deve ter uma melhor silagem, maior quantidade de grãos, melhor qualidade nutricional com menor necessidade de suplementação.

E uma boa maneira de garantir essa qualidade é produzir a própria silagem.

Essa técnica permite o armazenamento de um alimento nutritivo e com eficiência energética, além de representar uma redução de custos para a sua fazenda e um melhor desempenho dos animais do rebanho.  

boi comendo

5- Cuide bem das finanças da sua fazenda

Com o custo da arroba produzida sempre em crescimento e as margens de lucro em queda, é preciso que a gestão da sua fazenda passe por um aperfeiçoamento.

Não cabe mais má gestão e falta de planejamento e, muito menos, não utilizar a tecnologia como aliada. A pena para estas falhas você sentirá no bolso.

Nesse sentido, a gestão financeira da sua fazenda precisa ser considerada estratégica e ser feita com toda segurança e munida de dados que o permita tomar as melhores decisões e no momento certo. Ou seja, agora é preciso ir além do fluxo de caixa puro e simples. 

O uso de uma solução para gestão financeira é fundamental para que você tenha controle sobre: 

  • cadastros de entradas e saídas;
  • movimentações financeiras;
  • relatório de gastos;
  • entre outros.

O que fazer com este dado?

Com o custo por arroba definido, é possível traçar estratégias para redução ou aumento de preço de venda, definir de forma racional o peso do abate, entre outras decisões que podem melhorar os resultados.

Além disso, o processo de levantamento dos custos de produção oferece insights que podem trazer melhorias significativas para o processo de gerenciamento e gestão da sua fazenda.

Como vimos, contar com a tecnologia para calcular o custo da arroba produzida é um passo fundamental. O módulo de Compra e Venda do Prodap Views Prime, software de gestão da Prodap, simplifica as entradas e saídas de informações referentes ao gado.

Com isso, você consegue calcular os custos da produção de forma mais assertiva e chegar ao custo da arroba de forma facilitada.

Gostaria de saber mais sobre o Prodap Views Prime? Converse com um de nossos especialistas!

Sobre João Vitor Fernandes

Jornalista e pós-graduando em marketing digital, gestão e negócios.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se em nossa newsletter