]

04 Motivos para começar agora a utilizar o manejo rotacionado

O manejo rotacionado é uma estratégia para intensificação da produção a pasto que traz benefícios no desempenho animal e lotação da fazenda. São diversos os impactos positivos que esse sistema pode trazer!
por João Pacheco em 16/Jul/2020

Hoje a pecuária sofre a pressão de competição com várias culturas como alternativas mais rentáveis para o uso do solo e a sua intensificação se torna essencial para sua permanência dentro da propriedade.

O manejo rotacionado é uma estratégia para intensificação da produção a pasto que traz benefícios no desempenho animal e lotação da fazenda. Nesse texto você vai ver 04 motivos pelos quais o Manejo Rotacionado pode tornar sua produção mais rentável e sua fazenda mais competitiva

O que é o manejo rotacionado?

Já explicamos em outro texto as principais diferenças entre os tipos e sistemas de manejo de pastagens. Para acessar -> Tipos de manejo de Pastagem: Contínuo, Alternado ou Rotacionado?

Mas, para resumir, a abordagem empregada no sistema rotacionado consiste em dividir um pasto em vários piquetes, trabalhando com um lote pastejando cada piquete com uma alta lotação.

Após consumir a forragem disponível, o lote é transferido para o piquete seguinte, como na figura abaixo:

como funciona o pastejo rotacionado

Os principais benefícios de implantar um pastejo rotacionado

01. Com o pastejo rotacionado é mais fácil manejar os pastos dentro da altura desejada

A literatura indica uma altura de entrada e de saída para o manejo de cada forrageira. Essa indicação visa um pastejo no intervalo ótimo para a planta e para o animal.

Quando utilizamos manejo rotacionado, temos um pastejo muito mais uniforme do piquete devido à alta lotação que ocorre em cada piquete durante o pastejo, isso facilita a aferição de altura do pasto pela equipe de campo. Dessa forma, torna-se mais fácil a tomada de decisão de quando mudar os animais de piquete, seguindo as alturas recomendadas para manejo.

02. Permite o aumento da lotação

Alguns dados mostram que o manejo rotacionado permite um aumento de lotação em torno 20%. Isso ocorre principalmente por 3 motivos:

    • O pasto trabalha em seu intervalo ótimo de produção pois é mais fácil manejar os animais respeitando as alturas recomendadas:

      • Ao respeitar a altura de saída do pasto, garantimos que a touceira possua reservas e folhas suficientes para realizar fotossíntese e assim permitimos uma rápida brotação após a saída dos animais.
      • Ao atingir a altura de entrada (95% de Interceptação Luminosa), a produção líquida de folhas é drasticamente reduzida, pois inicia-se a morte das folhas antigas além do alongamento de colmos (material que dificilmente será consumido), fazendo com que o pasto não reduza sua produção.

lotação maior no pastejo rotacionado

o   A alta lotação por piquete e o seu tamanho reduzido permite uma colheita uniforme da forrageira em toda sua extensão, diferente do que ocorre no pastejo contínuo, onde é comum ocorrer áreas super-pastejadas e áreas sub-pastejadas (ocorrendo sobra de capim).

 

o   Esse sistema permite também a utilização de adubos. Como temos uma eficiência muito maior de colheita, podemos usar essa tecnologia para aumento da lotação.

* A utilização de adubos não é exclusiva de rotacionados, podendo ser utilizado em pastejo contínuo ou alternado, porém com manejo rotacionado conseguimos um maior aproveitamento do investimento com fertilizantes.

03. Aumenta o desempenho

O desempenho dos animais possui uma correlação positiva com o consumo de matéria seca e teoricamente o desempenho será o mesmo utilizando pastejo contínuo, alternado ou rotacionado, desde que seja ofertado um pasto de qualidade.

Isso porque o rebanho procura sempre consumir as partes mais nutritivas do pasto, as folhas mais jovens, fazendo com que uma boa oferta de material de qualidade esteja diretamente relacionada ao desempenho.

Porém, manter uma forragem de qualidade não é uma tarefa fácil, e na prática temos visto que o pastejo rotacionado gera um aumento no desempenho pois facilita para a equipe de campo manter o pasto bem manejado e assim oferecer aos animais uma alta oferta de material verde, evitando o aparecimento de material morto ou hastes, e consequentemente melhorando seu desempenho.

04. Possibilita a utilização do manejo de desponte/repasse

O manejo Desponte/Repasse é uma ferramenta muito interessante para o rotacionado. Ele consiste em manejar 2 lotes dentro do mesmo módulo, sendo o lote a frente composto por 30% da carga.

Essa ferramenta permite ganhos elevados para o lote desponte, podendo chegar a mais de 1 kg/cab/dia, podendo ser uma ferramenta para abate a pasto com baixo custo, por não demandar ração.

Veja o esquema abaixo dessa estratégia:

como funciona o pastejo rotacionado



Os 4 pontos levantados vão de encontro ao objetivo principal de qualquer atividade, aumentar o lucro.

Por que o pastejo rotacionado aumenta o lucro da fazenda?

Para exemplificar vamos fazer uma conta (Considerando a @ do boi gordo a R$ 185)

Uma fazenda que possui um suporte de 1 cab/ha, com desempenho nas águas (180 dias) de 0,600 kg/cab/dia utilizando pastejo continuo, com um custeio de R$ 50/mês. Se considerarmos um aumento de 15% na lotação e um aumento de 10% no desempenho (ainda assim muito abaixo do potencial genético dos animais) temos uma evolução do resultado apresentado na tabela abaixo:

exemplo de lucratividade no pastejo rotacionado

 

Com as premissas utilizadas, tivemos um aumento de R$ 130/ha, um incremento de 36% no resultado do negócio.

Aqui na prodap todos os dias ajudamos pecuaristas e produtores rurais a implementar sistemas para impulsionar resultados das suas fazendas. Sabendo que o pastejo rotacionado é uma ferramenta poderosa nesse sentido já temos um passo a passo bem estruturado para isso e você pode ter acesso a ele!

pastejo rotacionado de desponte e repasse

Ir para: 06 passos para implementar o pastejo rotacionado com manejo de desponte/ repasse

Os dados apresentados são apenas teóricos, mas exemplificam muito bem os benefícios financeiros que essa tecnologia pode trazer para a fazenda. Importante salientar que para obter todos esses benefícios todos os fatores que afetam o desempenho dos animais (sanidade, nutrição, estrutura da fazenda, água, etc) devem estar alinhados para que o sistema expresse todo seu potencial e traga o retorno financeiro esperado.

Sobre João Pacheco

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Fique por dentro das nossas novidades

Inscreva-se em nossa newsletter